Blog dedicado à unidade curricular de Jornalismo Televisivo da Universidade Lusófona do Porto

Quarta-feira, 21 de Março de 2018

Texto Pivô: Estar associado a uma empresa para trabalhar não é a única opção. Ser freelancer chega, a alguns, para o ganha-pão mensal e surge como alternativa a quem está a entrar no mercado de trabalho.

 

Voz off 1: Seja por gosto ou necessidade, ser freelancer é uma opção cada vez mais viável nos dias de hoje.

 

Entrevistado1:  Eu tenho a primeira ambição de ser freelancer um pouco pelo facto de eu também poder começar a desenvolver o meu trabalho, mais a minha parte gráfica. Coemçar eu, sozinha, a ver de certa forma também quem sou e o que é que eu quero.

Entrevistado 2: Acabo por ter mais liberdade em como faço os meus trabalhos, os meus projetos. Tenho mais felixibilidades de horários que me impõe certas regras de política de empresa.

Entrevistado 3: Eu trabalhava numa agência de tradução, até que cheguei ao ponto que achei podia e tinha capacidades, e todas as capacidades, para trabalhar por conta própria.  Entretanto foi criada uma sociedade com outras pessoas, também elas da área da tradução.

 

Voz off 2: Ora para dar resposta a trabalho acumulado, ora por falta de especialização, as empresas vêm cada vez mais vantagens na contratação dos trabalhadores independentes. 

Entrevistado 3: Recorremos a outros freelancers para idiomas que nós próprios não dominamos. Portanto, nós temos encargos nesse sentido.Temos encargo, pronto, para com as finanças portuguesas. 

 

Voz off 3: Mas as preocupações legais não são comuns a todas as empresas. 

Entrevistado 2: Houve uma vez que me contrataram para fazer um trabalho e cheguei ao fim e não me pagaram. Isto já foi há dois anos e ainda hoje não recebi o dinheiro e não irei receber.

 

Voz off 4: No que diz respeito à subsistência dos freelancers, é fundamental para os que estão a começar tal como para os que já contam com anos de experiência.

Entrevistado 1: Acredito que possa conseguir ser freelancer e sustentar-me, mas temos de olhar muito para isso.

Entrevistado 3: Se eu soubesse o que sei hoje, há um ano não me lançava a ter uma sociedade. É muito mais vantajoso em todos os aspetos ser freelancer e ter a sua própria empresa, e ser  sócio único, do que trabalhar com terceiros. Porquê? Porque é preciso justificar de tudo e mais alguma coisa. Financeiramente, não compensa de todo.

Entrevistado 1: Nenhum freelancer tem medo. Tem que se lançar e acabou.

publicado por Bárbara Dixe Ramos às 15:18

pesquisar
 
Março 2018
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
15
16
17

18
19
20
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


Últ. comentários
Os portistas estavam muito confiantes, mas este nã...

blogs SAPO


Universidade de Aveiro