Blog dedicado à unidade curricular de Jornalismo Televisivo da Universidade Lusófona do Porto

Terça-feira, 28 de Maio de 2013

Texto-pivot:

Território Comum é a mais recente exposição apresentada na Fundação EDP, no Porto. Reúne 100 fotografias da arquitectura regional portuguesa. Pretende salvaguardar a memória fotográfica e a realidade de um país “eclipsado”.

Realizado por; Henrique Moreira, Joaquim Pinto e Laura Capella


publicado por Henrique Moreira às 02:51

Quarta-feira, 22 de Maio de 2013

Pivot:

Desde há três anos que a Ton Up Garage, no Porto, revive as motas das décadas de 60 e 70 com características da atualidade. É um conceito pouco explorado em Portugal que aposta no estilo e na originalidade.

 

Vivo do cliente Miguel Sousa

Pretendia um projeto deste género, uma mota personalizada, uma mota com uma alma do passado e com componentes da atualidade. Vais personalizando um pouco a mota à tua imagem, em que vais na rua com uma coisa que sabes que é tua e não há outra igual. Numa loja de motas convencional tu não tens isso. Isto ainda é um conceito raro em Portugal daí a curiosidade em ter ido logo ao local.

 

Voz off: Este espaço, em Leça da Palmeira, guia-se por um estilo de vida não convencional no ramo

 

Vivo Pedro Oliveira 

Nós vendemos um lifestyle. O nosso objetivo não é vender motas. Nós vendemos um lifestyle onde tu tens motas que fazem parte desse lifesytle. 5A própria decoração e o espaço está toda de acordo com essa ideia que tínhamos inicialmente.

Qualquer pessoa que chegue aqui e queira fazer uma mota, nós temos de nos sentar com ele e perceber o que ele quer, perceber os gostos. Quando definirmos o projeto final a mota tem de ir ao encontro das espectativas dessa pessoa. Ele fala com connosco e percebemos logo o estilo que gosta, se é irreverente ou não, se uma pessoa não é irreverente não lhe vais fazer uma mota amarela.  Ou seja tudo o que a gente faz vai sempre ao gosto da pessoa.

 

Vivo Daniel Cabral

Porque é que não podemos hoje em dia andar com estas motas, por que não podemos andar com elas no dia-a-dia. Eu identifico-me mais com isto do que uma mota que qualquer pessoa pode chegar a um stand e comprar. Pronto, foi como por que é que não vamos criar um conceito á volta disso e vamos desenvolver o tal lifestyle que o pedro falou, vamos recria-lo mas vamos evolui-lo, fazer as pessoas viver ou reviver uma fase que foi marcante na vida delas e faze-las viver nos dias de hoje.

 

Por:
João Mota
João Parra
Luís Costa
publicado por jonasmota às 22:20

Terça-feira, 21 de Maio de 2013

 

Texto Pivô

O mercado do Bolhão no Porto está a diminuir a olhos vistos. Actualmente, apenas ¼ do mercado sobrevive.

Com a crise, há cada vez menos gente a comprar e a vender. 

 

 

Uma reportagem de Maria Girão e Carla Silva

 

 

 

   

Voz-off 1

“De há dois anos para cá, o mercado mais conhecido da cidade do Porto tem vindo a diminuir e a degradar-se.

Com a crise há cada vez menos pessoas a vender e a comprar no Bolhão”

 

Vivo Entrevistado 1

Muito menos vendedores, muito menos clientes, mas vai-se mantendo a qualidade.

Na parte de cima do Bolhão existiam 25 talhos e agora está reduzido a 5. Noutros tempos queria-se passar aqui no

mercado, não se podia. Hoje, é com muita facilidade que se anda aqui no Mercado do Bolhão.

 

Voz-off 2

“Os comerciantes queixam-se, e acusam a Câmara do Porto de ser a responsável por não deixar entrar novos vendedores.

Culpam o Presidente da Câmara por não autorizar repassar as barracas até para os familiares”

 

Vivo Entrevistado 2

Não deixam entrar aqui ninguém. Se deixassem entrar estavam aqui pessoas, o Preseidente da Câmara não deixa.

Vamos a ver agora se o que vier novamente deixa fazer isso.

Pergunta: Antes quantos é que eram aqui afectivos?

400, agora são 180.

 

Vivo Entrevistado 3

Sou a mais velha que está aqui hoje. Quanto ao negócio, está baixo. Nada que se pareça com o passado, muito diferente.

Isto o que está aberto é um-quarto do mercado. Os comerciantes foram embora porque não dava, o negócio aqui hoje não presta,

enquanto antigamente criamos com os nossos ganhos daqui, governamos as nossas casas, criamos entrar aqui dentro não se podia,

era muito movimento. Hoje, só lembra ao passado, mais nada.

 

Voz-off 3

“Há uma saudade geral nos rostos dos vendedores que por cá ainda trabalham. A esperança de que algo melhor virá

para este mercado, já centenário, é uma convicção para muitos”

tags:
publicado por CarlaSilva às 23:34

Texto Pivô:

Este mês, Portugal alcançou o ouro em Patinagem Artística. Esta modalidade tem conquistado vários títulos, levando o nome do país aos pódios mundiais.

Os fatos são um dos elementos essenciais na competição.

 

Reportagem de: Filipa Alves, Luísa Azevedo e Susana Silva

 

Voz Off 1:

 Desde cedo, que Daniela Pinto sentiu a necessidade de personalizar os fatos que usava.

Vivo da Daniela Pinto:

Eu fui atleta de patinagem artística durante muitos anos e queria fazer os meus próprios fatos de patinagem e mandava-os fazer, só que nunca vinham como eu queria e então eu tinha sempre que trabalha-los de outra forma.

Voz Off 2:

 A produção dos fatos exige algum cuidado e inspiração.

Vivo da Daniela Pinto:
 
Um fato de competição normalmente demora... Somos cinco ou seis pessoas a trabalhar. Se formos cinco ou seis pessoas a trabalhar no mesmo fato, por volta de quatro dias. Se for uma pessoa demora uma semana à vontade, porque é desde a base sem nada, desde o desenho, à prórpia pedra, tudo pronto. O fato completamente pronto.
Procuramos alguns modelos na Internet, ginástica, revistas, alta costura, dependendo do atleta. 

Voz Off 3:

 Para os atletas, a preparação é algo que lhes exige muito esforço

Vivo da Bruna Pinto:

 Comecei a praticar patinagem mais ou menos aos cinco anos e meio. Treino seis dias por semana e mais ou menos2 a3 horas. Acho mais difícil nas provas, os peões, é um bocado difícil.

Pergunta:

 Os fatos que utilizam são importantes até que ponto?

Vivo da Daniela Pinto:

São importantes numa questão de nota final do atleta durante a sua prestação e deverá estar de acordo com a música e seguir as regras do regulamento indicadas para o fato e para o patinador.

 

 

publicado por luisaazevedo às 14:00

Grupo: Francisco Miranda, Juliana Moreira e Mafalda Correia

Duração: 01:48 m

Texto-pivô:

Após 3 dias de retrospetiva e masterclasse do cineasta Jose Luis Guerín, o Multiplex encerra com um filme concerto no espaço Maus Hábitos no Porto.

 

 

Voz Off 1:
Os “Maus Hábitos” foram praticados pelos alunos de audiovisual da Universidade Lusófona do Porto. Após quatro dias de retrospetiva e exposições em vídeo o Multiplex 2013 termina com um filme concerto.

 

 

 

 

 00:00:00

Vivo Entrevistado 1 (Jacinta Barreto):

Acho que deviam haver mais iniciativas como esta porque acho que é, pelo menos foi a primeira vez que eu vi um filme concerto com trabalhos de alunos e com um projeto de alguém, pelos vistos reconhecido – o Ricardo Remédio. Tenho pena que não haja mais. Porque acho que é importante para os alunos, para a divulgação dos trabalhos, para se calhar terem cada vez mais empenho, quererem mostrar as coisas que fazem. E principalmente para mostrar que dá para conciliar as duas vertentes.

 

 

 

 

 

 

 

 

 00:00:12

Vivo Entrevistado 2 (Ricardo Remédio):

Acho que funcionou, acho que funcionou bastante bem, é um conforto saber que há outros elementos, não sou só eu ali sozinho, que às vezes é um bocado intimidante. E acho que funcionou bem, eu de vez em quando ia espreitando e acho que gostei do que estava a ser passado, e acho que dá outra atmosfera à coisa. Acho que funcionou bem.

 

 

 

 

 

 

 00:00:52

Vivo Entrevistado 3 (João Sousa Cardoso):

O multiplex de 2013, este ano, foi uma espécie de passo em frente em relação às edições anteriores. Procuramos valorizar o trabalho dos alunos numa sessão de abertura do multiplex deste ano. Projetando sobretudo os documentários realizados por alguns alunos de CAM. Unir esses dois universos, a música e as imagens em movimento é uma ideia extraordinária e espero fecharmos com chave de ouro o multiplex de 2013.

 

 

 

 

 

 

 00:01:09

Voz Off 3:

De volta aos “bons hábitos” os olhos estão postos no multiplex 2014.

 

 00:01:40

 

publicado por Beneath Your Beautiful às 13:53

Terça-feira, 14 de Maio de 2013

Texto  Pivô

Desde 2009 no Porto, o Nutricion Club nota um aumento de procura por parte dos Portugueses.

A preocupação com saúde e com o bem-estar são os principais motivos que atraem os clientes.

 

 

Uma reportagem de Carla Silva e Maria Girão

 

 

 

 

Voz-off 1 

“Há mais de 200 Clubes de Nutrição Herbalife em todo o país. No porto, em Stª Catarina,

encontramos o Nutricion Club. Há 21 anos em Portugal a empresa nota um aumento de procura por parte dos portugueses” 

 

Vivo Entrevistado 1

      Estou à dois meses. É pouco tempo mas já tenho resultados.

      Nós fazemos sempre, todas as semanas, um balanço da nossa evolução e já notei bastante no meu,

já aumentei a massa muscular. 

 

Vivo Entrevistado 2

      À um mês, sensivelmente. Eu gosto de me cuidar, gosto de me sentir bem. De semana a semana, aliás,

a gente vai perdendo peso, com o produto da Herbalife, em si, o interior fica mais jovem. 

 

Voz-off 2 

“Há cerca de 5 meses surge o FitClub. Com as aulas de Zumba o cliente pode complementar a alimentação com a prática

de exercício físico” 

 

Vivo Entrevistado 3

      O público que procura mais as minhas aulas é aquele que, ou não tem tempo para ir aos ginásios ou que tem bastante

preguiça porque não gostam de máquinas, acham chato.

      O meu programa é mesmo um suplemento alimentar. Porque para a minha alimentação, porque é assim, eu já tenho

a minha alimentação normal, isto é só mais uma forma para eu poder aumentar peso para me sentir melhor e também para

ter mais energia para poder dar mais aulas durante o dia.

 

Vivo Entrevistado 4

      É verdade, é um facto, hoje em dia a Herbalife é, a nível Internacional, o terceiro maior patrocinador desportivo em

termos nutricionais. Patrocinamos muita gente dentro da área do desporto, principalmente equipas de

futebol como o Barcelona, (…), a própria Selecção Belga de Futebol. No Brasil são 5 ou 6 equipas que são patrocinadas por nós.  

 

Voz-off 3 

“A Herbalife, em 2012, facturou 6,4 mil milhões de dólares, e é hoje uma empresa com um crescimento a nível

mundial perto dos 20%. Actualmente a Herbalife está presente em 88 países espalhados por todo o mundo”


tags:
publicado por CarlaSilva às 22:13

No dia 28 de Abril a Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental organizou uma caminhada de sorrisos. O objetivo foi mostrar que somos todos diferentes mas todos iguais.

 

Grupo: Francisco Miranda, Juliana Moreira e Mafalda Correia
publicado por Beneath Your Beautiful às 10:01

As aldeias do Xisto trazem à cidade do Porto um novo conceito através do Espaço X.

Esta loja situada no Passeio das Cardosas realizou várias actividades com entrada gratuita para todos os visitantes.




Reportagem de: Marta Sobral e Sara Gomes

Imagem de: Luís Santos


Voz Off

 

“As aldeias do xisto chegam à cidade do Porto através do Espaço X. No dia 27 de Abril o tema retratado foi o vidro, onde os artesãos têm a oportunidade de demostrar as suas técnicas e materiais locais”

Vivo Entrevistado

 

Sérgio Lopes (Artesão) – “Estou a fazer um pendente do género daqueles que podem ver ali, em vidro soprado com diferentes cores que são pingadas aqui derretendo o vidro. Neste fase ainda só estou a acrescentar as cores e só posteriormente é que vou soprar esta peça para lhe dar dimensão.”

Pergunta Jornalista

 

Qual é o valor médio de cada peça?

Vivo Entrevistado

 

Sérgio Lopes (Artesão) – “Depende um bocadinho de cada tipo de peça  mas andam à volta de 30 €, basicamente é à volta disso.”

Vivo Entrevistado

 

Visitante da loja -  “Acho que é uma boa iniciativa também para a cidade do Porto. São peças muito bonitas, são peças diferentes e são peças artesanais.

Vivo Entrevistado

 

Rui Simão (Coordenador das "Aldeias do Xisto) – “Trazermos à cidade do Porto um pouco dos tons, dos cheiros, dos sabores, dos saberes ,das aldeias e com isso, veicularmos aquilo que tem sido o nosso trabalho, daquilo que é o nosso posicionamento a nível de oferta de produtos e serviços e como lhe disse, portanto, com o foco naquilo que é a oferta turística do território. Aqui no Espaço X no Porto acaba por ser uma porta ou uma janela para se espreitar para o território das Aldeias do Xisto.

Voz Off

 

“Este espaço temporário na cidade do Porto fechou as portas no final do mês de Abril, mas brevemente estará em Lisboa com novas demonstrações”


publicado por On-and-off às 08:16

Texto-pivot:

Vila Praia de Âncora está coberta de flores para promover, numa segunda edição, a iniciativa Vila Praia em Flor. Pretende dinamizar o comércio e a economia locais, atrair visitantes e turistas, e reforçar a alegria e a jovialidade em tempos de crise. O evento é apoiado pela Câmara Municipal de Caminha e pela Junta de Freguesia e termina no dia 12 de Maio.

Realizado por; Henrique Moreira, Joaquim Pinto e Laura Capella

 

 

publicado por Henrique Moreira às 03:57

TEXTO PIVOT:

 

A Confederação Geral dos Trabalhadores de Portugal organizou para este feriado, várias manifestações em todo país.

Na Avenida dos Aliados os manifestantes fizeram-se ouvir ao longo de toda a tarde.


Voz OFF 1:

No dia 1 de Maio os trabalhores encheram as ruas do Porto num desfile de protesto organizado pela CGTP


 
publicado por sergioricardo89 às 00:45

pesquisar
 
Maio 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
15
16
17
18

19
20
23
24
25

26
27
29
30
31


Últ. comentários
https://verdade-rigor-honestidade-diferente.blogsp...
Os portistas estavam muito confiantes, mas este nã...
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro